ESTAMOS BEM

Capa do livro Estamos bem
  • Ficha Técnica
  • Downloads
Título original: We Are Okay Autora: Nina LaCour Tradutora: Regiane Winarski

Estamos bem


Previsão de lançamento: Setembro


Você passa pela vida achando que precisa de tanta coisa…

Até ir embora só com o celular, a carteira e uma foto da sua mãe.

Marin não fala com ninguém da vida antiga desde o dia em que deixou tudo para trás. Ninguém sabe a verdade sobre as semanas finais. Nem mesmo sua melhor amiga, Mabel. Mas mesmo a milhares de quilômetros da costa da Califórnia, na faculdade em Nova York, Marin ainda sente o impacto da vida e da tragédia da qual tentou fugir. Agora, meses depois, sozinha em um alojamento vazio durante as férias de inverno, Marin espera. Mabel está chegando para visitá-la, e Marin vai ser obrigada a enfrentar tudo que não foi dito e a finalmente confrontar a solidão que se alojou em seu coração.

Um sussurro íntimo que carrega um soco indelével, Estamos bem é o que Nina LaCour tem de melhor. Esse retrato lindamente elaborado e dolorosamente sincero da dor vai provocar uma vontade de atravessar qualquer distância para se reconectar com as pessoas que você ama.

Nina LaCour é a autora dos aclamados livros Hold Still, The Disenchantments e Everything Leads to You. Ela também é coautora, junto com David Levithan, de À primeira vista. Com experiência de livreira e professora de ensino médio, ela agora escreve e cuida da filha em tempo integral. Nascida na região da baía de São Francisco, Nina mora com a família em Martinez, Califórnia.

www.ninalacour.com


Sobre o livro:

“Tão solitário e lindo que mal consegui respirar. É o livro perfeito.” — Stephanie Perkins, autora do campeão de vendas Anna e o beijo francês

“Tão lindo quanto as melhores lembranças, tão triste quanto as melhores músicas, tão cheio de esperanças quanto seus melhores sonhos.” — Siobhan Vivian, autora do campeão de vendas Eu e você no fim do mundo

“Dá para sentir cada pico e cada vale da viagem emocional de Marin na pele, nas entranhas. Lindamente escrito, emocionante e profundamente real.” — Adi Alsaid, autor de Never Always Sometimes e Perdidos por aí


Trechos:

“Eu tinha afastado a dor. E a encontrara nos livros. Chorava pela ficção em vez de pela verdade. A verdade era irrestrita, sem enfeites. Não havia linguagem poética nela, nem borboletas amarelas, nem inundações épicas. Não havia uma cidade presa embaixo d’água nem gerações de homens com o mesmo nome, destinados a repetir os mesmos erros. A verdade era ampla o bastante para se afogar nela.”

“O sul da cidade era onde nossos mortos eram enterrados, mas não minha mãe, cujas cinzas voltaram para o mar que a matou e que ela tanto amava.”

“O desconhecimento é um lugar escuro. É difícil se render a ele. Mas acho que é onde moro a maior parte do tempo. Acho que é onde todos nós vivemos, então talvez não precise ser tão solitário. Talvez eu consiga me acomodar, me aconchegar, construir um lar na incerteza.”