UMA LOUCURA DISCRETA

Capa do livro Uma loucura discreta
  • Ficha Técnica
  • Downloads
Título original: A Madness so Discreet ISBN: 9788592783020 Autor: Mindy McGinnis Quantidade de páginas: 388 Tradutor: Fábio Bonillo Comprimento: 14 cm Altura: 21 cm Profundidade: 2.5 cm Peso: 0.5 kg Acabamento: Brochura Edição: 1ª/2016 Preço: R$44,90 E-book: Sim

Uma loucura discreta


Boston, 1890. Asilo Psiquiátrico Wayburne. Grace Mae vive um pesadelo: forçada a passar seus dias reclusa num manicômio, em meio a insanos de todo tipo, sobressaltada por gritos de horror a cada noite.

Grace não é louca. Apenas não consegue esquecer os terríveis segredos de família. Terríveis o suficiente para calar sua voz – jamais ouvida por ninguém, a não ser ela mesma, dentro de sua mente brilhante.

Mas, quando uma crise emocional violenta traz sua voz à tona, Grace é confinada em um porão escuro. É nesse momento em que ela conhece o dr. Thornhollow, um estudioso de psicologia criminal. Dona de um olhar aguçado e de uma memória prodigiosa, Grace passa a auxiliar o médico em investigações.

Ambos escapam para uma instituição mais segura em Ohio, em busca de amizade e esperança. Mas a tranquilidade dura pouco: surge um assassino em série que ataca brutalmente jovens mulheres.

Grace seguirá no encalço do criminoso, mesmo tendo de enfrentar seus próprios fantasmas.

Em Uma loucura discreta, Mindy McGinnis explora com maestria narrativa a tênue linha entre sanidade e loucura, revelando o lado obscuro que existe em todos nós.


Sobre o livro:

“Um romance brutal, implacável e aterrorizante. Grace Mae é uma heroína realista, inteligente e emocionalmente complexa. Os leitores vão torcer por ela desde a primeira página. O estilo de Mindy McGinnis – assim como a história de Grace – é cativante demais para se ignorar.”
– Madeleine Roux, autora da série
Asylum, best-seller do New York Times


Destaques:

Vencedor do Edgar Awards 2016, a mais importante premiação americana para obras de mistério, na categoria Young Adult.

“Estamos aqui porque somos as pessoas mais sãs desta instituição, então eles nos meteram aqui embaixo para servirmos de pilar, dando sustentação para os devaneios de suas próprias mentes. Eles nos chamam de insanos, depois alimentam sua própria insanidade em nossa carne, pois por ora somos menos que humanos. Empurram sua discreta loucura em nós, seu poder e sua dor, e nós nos apegamos às nossas verdades aqui, na escuridão.”