Vencer não significa ser vitorioso

Com A maldição do vencedor, Marie Rutkoski dá início a uma trilogia de fantasia histórica que mistura romance, intriga, estratégia militar, espionagem e um império em guerra.

“NÃO DEVERIA TER FICADO TENTADA.
Foi o que Kestrel pensou enquanto tirava a prata dos marinheiros na mesa de jogos improvisada, num canto do mercado.”

O começo de A maldição do vencedor nos apresenta a protagonista, Kestrel, em sua forma mais pura: impulsiva, ótima jogadora e com uma mente brilhante.

Apesar de seu espírito livre, Kestrel vive presa ao seu papel como filha do general do exército imperial valoriano, e essa dicotomia será o principal elemento que conduzirá as reviravoltas do livro.

Capa do A maldição do vencedor

Reviravoltas? Como assim?

Embora seja parte de uma trilogia (que vamos publicar inteira até a metade de 2017!), a história de A maldição do vencedor é bem contida. Existe um começo, meio e fim para a trama e, ao final, os personagens do livro se encontram em situações bem diferentes de onde começaram.

E a sinopse?

Aqui:

“Kestrel quer ser dona do próprio destino. Alistar-se no Exército ou casar-se não fazem parte dos seus planos. Contrariando as vontades do pai — o poderoso general de Valória, reconhecido por liderar batalhas e conquistar outros povos –, a jovem insiste em sua rebeldia.

Ironicamente, na busca pela própria liberdade, Kestrel acaba comprando um escravo em um leilão. O valor da compra chega a ser escandaloso, e mal sabe ela que esse ato impensado lhe custará muito mais do que moedas valorianas.

O mistério em torno do escravo é hipnotizante. Os olhos de Arin escondem segredos profundos que, aos poucos, começam a emergir, mas há sempre algo que impede Kestrel de tocá-los. Dois povos inimigos, a guerra iminente e uma atração proibida…

As origens que separam Kestrel de Arin são as mesmas que os obrigarão a lutarem juntos, mas por razões opostas.

A maldição do vencedor é um verdadeiro triunfo lírico no universo das narrativas fantásticas. Com sua escrita poderosa, Marie Rutkoski constrói um épico de beleza indômita.”

 

Preocupada se o livro é bom? A May tem algo a dizer sobre isso. 🙂

O livro já entrou em pré-venda?

Sim! Olha só a relação de livrarias:

Livraria Cultura
Livraria Saraiva
Livrarias Curitiba

A maldição do vencedor está previsto para a primeira semana de Junho, mas você pode ler um trecho aqui.


“Nesta trama cheia de suspense, envolvendo política, intriga e violência, o limiar entre vilões e heróis torna-se sutil. Uma obra verdadeira, trágica e de tirar o fôlego.” – Kirkus Reviews

“Um amor proibido em uma sociedade marcada pela luta de classes. Rutkoski cria um mundo cindido, com poderosas cenas de batalha e instáveis alianças de poder. A adrenalina deixará os leitores ávidos pelo próximo volume.” – Publishers Weekly

Comentários

comentários